Ação em parceria dos órgãos de alcance nacional produtores de registros administrativos, pesquisas sociais e censos. Tem por objetivo o fortalecimento e aprimoramento das informações estatísticas oficiais.

Prova Brasil

Processo:Prova Brasil

Sigla: -

Instituição Responsável: MEC/INEP/ Diretoria de Avaliação da Educação Básica (DAEB)

Tema: Educação/Educação Básica

Tipo de Processo: Pesquisa

Situação do Processo: Ativo

Periodicidade: Bienal

Início: 2005

Ocorrência(s):2007, 2009, 2011

Unidade(s) de Investigação: Escola localizada na área urbana da rede pública (federal, estadual e municipal).

Unidade(s) de Análise: Escola em suas etapas de ensino e disciplina, Brasil, Unidade da Federação e Município.

Técnica de Investigação: Censitária

Histórico:

A Prova Brasil foi criada em 2005, a partir da necessidade de ampliação do Saeb – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica, passando a avaliar todos os estudantes da rede pública urbana de ensino, de 4ª e 8ª séries do ensino fundamental. Os resultados são disponibilizados para o Brasil, Unidades da Federação, municípios e escolas participantes.

A partir de 2007 a Prova Brasil passou a ser operacionalizadas em conjunto com o Saeb, uma vez que a metodologia das duas avaliações é a mesma.

Considerando a metodologia utilizada nenhum aluno será submetido às duas avaliações. A Prova Brasil é aplicada a todos os alunos de escolas públicas urbanas de 4ª e de 8ª série, já o Saeb é feito por alguns alunos selecionados estatisticamente de 4ª e de 8ª série do Ensino Fundamental das redes particulares e rural e de 3º ano do Ensino Médio das redes pública e particular, de área urbana.

Objetivo:

A partir das informações do Saeb e da Prova Brasil, o MEC e as secretarias estaduais e municipais de Educação podem definir ações voltadas ao aprimoramento da qualidade da educação no país e a redução das desigualdades existentes, promovendo, por exemplo, a correção de distorções e debilidades identificadas e direcionando seus recursos técnicos e financeiros para áreas identificadas como prioritárias.

As médias de desempenho nessas avaliações também subsidiam o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), ao lado das taxas de aprovação nessas esferas.

Além disto, os dados também estão disponíveis a toda a sociedade que, a partir dos resultados, pode acompanhar as políticas implementadas pelas diferentes esferas de governo. No caso da Prova Brasil ainda pode ser observado o desempenho específico das escolas públicas urbanas do País.

Os dados dessas avaliações são comparáveis ao longo do tempo, ou seja, pode-se acompanhar a evolução dos desempenhos das escolas, das redes e do sistema como um todo.

População Alvo:

Estudantes das 4ª e de 8ª série, de todas as escolas públicas urbanas do Brasil com mais de 20 alunos na série.

Abrangência Geográfica:

Brasil, Grandes Regiões, Unidade da Federação, Município.

Metodologia:

Diferentemente das provas que o professor aplica em sala de aula, a metodologia adotada na construção e aplicação dos testes do Saeb e Prova Brasil é adequada para avaliar redes ou sistemas de ensino, e não alunos individualmente.

Os resultados são produzidos a partir da aferição das habilidades e competências propostas nos currículos para serem desenvolvidas pelos alunos em determinada etapa da educação formal.
Como os currículos são muito extensos, um aluno não responde a todas as habilidades neles previstas, em uma única prova. Um conjunto de alunos responde a várias provas. Desta forma, os resultados não refletem a porcentagem de acertos de um aluno respondendo a uma prova, mas a de um conjunto de alunos, respondendo às habilidades do currículo proposto, distribuídas em várias provas diferentes.

Como cada grupo de alunos representa uma unidade dentro do sistema de ensino, por exemplo, uma escola ou uma rede, tem-se o resultado para cada unidade prevista e não para os alunos individualmente.

A metodologia utilizada permite que se compare o desempenho das redes e escolas ao longo do tempo. Assim, enquanto determinadas avaliações não permitem a comparação em função de graus diferentes de dificuldade em suas edições, os instrumentos utilizados no Saeb e na Prova Brasil permitem fazer tal comparação.

A Prova Brasil adota o marco teórico e os mesmos procedimentos e técnicas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), como, por exemplo: Matrizes de Referência; testes padronizados para medir o que os estudantes demonstram saber e são capazes de fazer nas áreas de conhecimento; padronização dos trabalhos de campo; uso da Teoria de Resposta ao Item e de Escalas de Proficiência para análise de dados e apresentação de resultados.

Os resultados da Prova Brasil são apresentados em uma escala de desempenho por disciplina, composta por níveis designados por numerais. Na escala de Língua Portuguesa existem nove níveis para explicar o desempenho dos alunos: 125, 150, 175, e assim sucessivamente até o nível 350. A escala de Matemática é composta por dez níveis que vão do 125 ao 375 pontos. As escalas das duas áreas variam de 25 em 25 pontos. O desempenho dos alunos também é apresentado de forma numérica.

Como os números indicam apenas uma posição na escala, faz-se uma interpretação pedagógica dos resultados, descrevendo-se, em cada nível, o grupo de habilidades que os alunos demonstraram ter desenvolvido respondendo às provas, atribuindo-se, assim, um significado aos dados.

Cada nível é constituído pelas habilidades nele descritas, somadas às habilidades constantes nos níveis anteriores; conseqüentemente, os níveis finais da escala são compostos pelas mais altas habilidades previstas nas Matrizes e que os alunos conseguem apresentar ao responder às provas.

Pela localização numérica do desempenho na escala, é possível saber quais habilidades os alunos já construíram, quais estão desenvolvendo e aquelas a serem alcançadas.

Além disso, o desempenho é apresentado pela distribuição do percentual de alunos ao longo dos níveis da escala, permitindo uma melhor visualização da situação dos diversos grupos de alunos, no contexto da população e subpopulações avaliadas.

Faz-se necessário ressaltar, entretanto, que não é esperado dos alunos da 4ª série o alcance dos níveis finais da escala, pois estes representam as habilidades desenvolvidas ao longo de todo percurso do ensino fundamental.

Principais Variáveis:

  • Variáveis classificatórias:

    • Dependência Administrativa da Escola;
    • Localização da Escola (Urbana ou Rural);
    • Sexo;
    • Raça;

Variáveis principais:

  • Dados da turma:
    • Série.
  • Dados da escola:
    • Sigla da Unidade da Federação onde a escola se localiza;
    • Nome do Município da Escola;
    • *Obs: É possível obter todas as informações da escola a partir do Censo.

  • Dados da proficiência:
    • Proficiência em Língua Portuguesa transformada na escala única do SAEB, com média = 250, desvio = 50 (do SAEB/97);
    • Proficiência do aluno em Matemática transformada na escala única do SAEB, com média = 250, desvio = 50 (do SAEB/97).
  • Questionário do aluno:
    • sexo;
    • raça;
    • idade;
    • utensílios que possui em casa;
    • quantidade de pessoas com quem mora na casa e quantos quartos a casa possui;
    • escolaridade dos pais ou responsáveis;
    • participação dos responsáveis nos estudos;
    • se trabalha ou não fora de casa;
    • informação sobre abandono e reprovação;
    • violência na escola (questionário do 3º ano do ensino médio);
    • expectativas pessoais de escolaridade e trabalho (questionário de 8ª série do ensino fundamental e 3º ano de ensino médio);
  • Questionário do professor:
    • sexo;
    • raça;
    • idade;
    • escolaridade e participação em curso de formação continuada;
    • salário bruto do professor;
    • há quanto tempo leciona;
    • carga horária semanal;
    • atividades que realiza com os alunos;
    • como foi desenvolvido o projeto pedagógico da escola;
    • percepção do professor a respeito dos motivos que podem explicar as dificuldades de aprendizagem dos alunos;
    • participação do diretor na motivação dos funcionários;
    • problemas que ocorrem com a escola;
    • violência na escola;
    • opinião do professor a respeito da qualidade dos livros didáticos.
  • Questionário do diretor:
    • sexo;
    • raça;
    • idade;
    • escolaridade e participação em curso de formação continuada;
    • salário bruto e renda familiar bruta;
    • experiência na área de educação e na função de direção;
    • promoveu alguma atividade de formação continuada;
    • composição do conselho escolar;
    • projeto pedagógico da escola;
    • a escola possui programas de redução das taxas de abandono e reprovação e programas de apoio ou reforço de aprendizagem;
    • problemas que ocorrem com a escola;
    • condições para o exercício do cargo na escola;
    • recursos existentes ou não na escola;
    • informações sobre violência na escola.
  • Questionário da escola:
    • adequação dos itens do prédio;
    • estado de conservação da escola;
    • aspectos relacionados à segurança da escola;
    • quantidade de computadores existente;
    • estado de conservação de diversos equipamentos existentes na escola;
    • informações a respeito de utilização da biblioteca;
    • estado de conservação dos livros;

Documentação Operacional:

  • Questionário do aluno: 4ª série de ensino fundamental; 8ª série de ensino fundamental;
  • Questionário do professor;
  • Questionário do diretor;
  • Questionário da escola;

Época da Coleta:

Ocorre no segundo semestre nos meses de Outubro ou Novembro.

Tempo Previsto entre o Início da Coleta e a Liberação dos Dados:

8 meses.

Nível de Divulgação:

Os resultados da Prova Brasil informam o desempenho de cada município e de cada escola

Formas de Disseminação:

Internet – http://provabrasil.inep.gov.br/

Microdados (Ano de 2007) – http://www.inep.gov.br/basica/levantamentos/microdados.asp


© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística