Ação em parceria dos órgãos de alcance nacional produtores de registros administrativos, pesquisas sociais e censos. Tem por objetivo o fortalecimento e aprimoramento das informações estatísticas oficiais.

Diferenças conceituais entre pesquisas do Inep e do IBGE

  • PNAD e Censo Escolar são pesquisas distintas e existem diferenças difíceis de serem harmonizadas. As diferenças entre a PNAD e os censos do Inep causam dificuldades no cálculo de taxas educacionais para diversos indicadores, como: etapas de ensino; modalidade de ensino; grau acadêmico; e; nível superior.
  • O Inep calcula a taxa de escolarização com base na PNAD e nos anos em que há Censo Demográfico não há PNAD. Portanto o Inep não divulga a taxa de escolarização nos anos do Censo, pois os dados não são comparáveis com os resultados da PNAD.
  • As Classes de Alfabetização formalmente não pertencem nem à Educação Infantil nem ao Ensino Fundamental, na verdade, foram extintas em decorrência da implantação do Ensino Fundamental de nove Anos. Entretanto, em algumas pesquisas do IBGE ainda têm questões sobre Classes de Alfabetização. Com Creche e Pré-Escola acontece o mesmo, antigamente compreendiam crianças com até seis anos de idade, mas com o advento do Ensino Fundamental de nove anos, passou a ser com crianças até cinco anos de idade.
  • Outra diferença importante entre as pesquisas do IBGE e os censos do Inep é relativa à rede de ensino privada. O IBGE usa o termo particular, sendo que o mais adequado seria privado. A rede privada se subdivide em particular, filantrópica, comunitária e confessional. Esta diferença prejudica comparações entre estatísticas dos dois institutos.
  • As modalidades de ensino na educação básica são Educação de Jovens e Adultos – EJA, Especial e Regular. É preciso um maior detalhamento destas modalidades nas pesquisas do IBGE. Às vezes existe uma confusão ao se colocar EJA como uma etapa de ensino, sendo que na verdade é uma modalidade de ensino.
  • Na educação superior é preciso ter uma melhor distinção entre o nível de ensino (graduação e sequencial) e grau acadêmico (bacharelado, licenciatura e tecnológico). Os cursos sequenciais são cursos de nível superior e destinados a quem possua certificado de conclusão do ensino médio, porém não são caracterizados como graduação. Os cursos tecnológicos são cursos de graduação, assim como bacharelado e licenciatura.


© 2019 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística